17 de agosto de 2009

O que é o Jovens Talentos?

O PROJETO JOVENS TALENTOS

O Projeto Jovens Talentos, é um programa de pré-iniciação científica, instituído em 1999, tendo como entidades executoras a Fundação de Amparo à Pesquisa Carlos Chagas Filho – FAPERJ e a Fundação Centro de Ciências do Estado do Rio de Janeiro – CECIERJ. O projeto tem parcerias com Instituições de Pesquisa e Universidades Públicas e Privadas do Estado do Rio de Janeiro e, através destas, insere estudantes da rede pública estadual de ensino médio e profissional na pré-iniciação científica.
O estágio dos estudantes é composto por uma primeira fase, denominada Estágio Inicial, com duração de oito meses (maio-dezembro). Ao final da fase, o estagiário apresenta um relatório das atividades realizadas e, havendo interesse do orientador e do aluno, poderá ser solicitada a renovação do estágio para o período seguinte, que recebe a denominação de Estágio Avançado, com duração de 10 meses (março-dezembro), na qual o estagiário irá aprofundar seu trabalho. Essa segunda fase culmina com a apresentação do relatório final e com a oportunidade de apresentar seus resultados na Jornada Científica, que é realizada anualmente pela coordenação do projeto, em cooperação com a Faperj e com as instituições parceiras.
Todos os jovens inseridos no Jovens Talentos recebem da Faperj uma bolsa a título de ajuda de custo, no valor de R$ 180,00 mensais, durante todo o período de participação no programa.
Para participar do projeto o jovem deve estar regularmente matriculado na rede pública estadual de ensino, nos níveis médio ou profissional; ter de 15 a 18 anos e apresentar bom rendimento escolar; interesse em atuar na pesquisa e disponibilidade mínima de 8 horas por semana para o cumprimento do estágio. Os jovens são selecionados pela coordenação do Projeto, em comum acordo com as instituições que os receberão para o estágio e com as escolas estaduais vinculadas ao JT. Os jovens selecionados são encaminhados aos orientadores, que se dispõem a recebê-los e orientá-los durante as fases do estágio.
Os orientadores são pesquisadores vinculados às Instituições de Pesquisa, que concordam voluntariamente em receber e orientar os estudantes e apresentam titulação mínima de Mestre. Os alunos poderão ser inseridos em Projeto de Pesquisa já existente no laboratório do orientador, ou pode ser criado, para eles, um projeto específico.
São instituições parceiras do Projeto Jovens Talentos: UFRJ, UERJ, UERJ São Gonçalo, IEAPM, PUC-Rio, UCP, LNCC, UNIRIO, USU, IVP, IVE, UFF, CTAIBB-UFF, CANP-UFF, UENF, CEFET-Campos, UFRRJ, UFRRJ-Campos, UBM, INCA, CBPF, USS, PESAGRO, EMBRAPA e FIOCRUZ, DRM, SEBRAE-Pádua, SENAI-Pádua, UFF-Pádua, NUPEM-UFRJ.
A participação dos alunos no Jovens Talentos tem demonstrado, através dos depoimentos de ex-estagiários, que estamos colhendo ao longo da vigência do programa, uma forte influência sobre inúmeros aspectos da vida pessoal e acadêmica do estudante. A tabulação dos dados desta pesquisa permanece sendo realizada, pois continuamos a receber informações dos jovens que concluem seus estágios e, como a cada final de ano um novo grupo termina suas atividades no JT, novos dados são colhidos.
O Jovens Talentos, ao longo de seus nove anos de existência, vem apresentando constante aumento na oferta de áreas ou subáreas de pesquisa, totalizando atualmente 37 áreas / subáreas. Esse crescimento na variedade de opções de estágio permite que possamos atender a um leque maior de tendências e interesses de nossos estudantes, não ficando restritos às áreas tradicionalmente científicas.
O Projeto Jovens Talentos, a partir de 2004, incorporou outros projetos como o Instituto Virtual de Paleontologia, em seu aspecto Iniciação Científica; o Instituto Virtual do Esporte; e o Jovens Talentos Tecnológico, que trata apenas de trabalhos na área tecnológica e envolve alunos e escolas da rede Faetec.
Nossos estudantes atuam em projetos internos, desenvolvidos dentro de laboratórios ou em projetos de campo. Os projetos desenvolvidos em laboratórios ocorrem nas mais diversas áreas do conhecimento e são de altíssimo nível.
Os projetos realizados em campo, como por exemplo, no Parque Paleontológico de Itaboraí e nos Sambaquis de Saquarema, têm sido de extrema importância para a preservação, revitalização, manutenção e divulgação de sítios geológicos, paleontológicos e arqueológicos do Estado do Rio de Janeiro.
Através do Instituto Virtual de Paleontologia da Faperj, o Jovens Talentos foi inserido no Parque Paleontológico de Itaboraí, em 2004, e tem mostrado sua vital importância no processo de implementação do Parque. Neste projeto, nossos estagiários atuam nas áreas de Geologia, Paleontologia, Arqueologia, Meio Ambiente e Patrimônio, sob a orientação de pesquisadores da UFRJ, da UERJ e do Museu Nacional. Todos os alunos que atuam neste projeto são moradores da localidade, o que permite levar à comunidade o conhecimento da existência do Parque e a conscientização da população local para a importância da preservação do mesmo.
Em Saquarema, a partir de 2006, o Projeto Jovens Talentos passou a atuar nos Sambaquis da região com jovens residentes na cidade,, desenvolvendo um trabalho nos sítios arqueológicos locais, de forma a preservá-los, revitalizá-los e divulgá-los, inclusive dentro da própria cidade de Saquarema, onde grande parte da população desconhece a existência dos Sambaquis. Neste projeto a atuação ocorre nas áreas de Arqueologia Pré-Histórica, Arqueologia Histórica e Patrimônio sob orientação de pesquisadores da UERJ e Museu Nacional.
Em 2007 estabelecemos o Projeto em Parati e Angra dos Reis na área de Arqueologia Histórica em parceria com pesquisadora da UERJ e com a Eletronuclear. Neste processo inserimos 10 jovens indígenas da etnia M’byá que estão na fase avançada do projeto. Ainda em 2007 inserimos 5 jovens apenados do Presídio Evaristo de Morais Filho que estão na segunda fase do projeto e que passaram a ter regime de progressão de pena com a participação no JT. Atualmente mais três indígenas e três apenados foram inseridos no JT.
Para 2009 teremos a inserção de estudantes do Instituto Nacional de Educação de Surdos, além de continuarmos trabalhando para levar o projeto a municípios ainda não contemplados com a presença do JT.
A partir de 2009 foram inseridos os municípios de São José de Ubá e Rio Claro. Em 2010 estão sendo implantados os municípios de Itaperuna, Varre e Sai, Paty do Alferes e Cabo Frio, além de iniciarmos contatos para implantar o JT em Quissamã em 2011.
Além destas novas participações o JT estará em 2010 inserindo em Bom Jesus do Itabapoana jovens estudantes da APAE no seu quadro de estagiários. Também há a possibilidade de inclusão de jovens da APAE de Varre e Sai.
Jovens Talentos sempre buscando a inclusão de todas as camadas da sociedade!
Jorge Belizário de M. Maria
Coordenador do JT


A Jornada Científica do Projeto Jovens Talentos.

A Jornada Científica do Projeto Jovens Talentos é um momento único, realizado anualmente, que permite aos estagiários do programa apresentarem os trabalhos de pesquisa que desenvolveram ao longo do período de sua atividade de Iniciação Científica Júnior.
Além deste fato, de mostra dos projetos realizados pelos alunos, a Jornada promove a integração entre todos os participantes, alunos, professores e orientadores de diversas instituições e de variadas regiões de nosso Estado além de servir como uma forma de prestação de contas do investimento realizado para o custeio das bolsas dos JTs.
Os alunos participantes da Jornada enviam para a coordenação do projeto os resumos de seus trabalhos para sejam publicados sob a forma gráfica e/ou eletrônica.
Lembramos que cada aluno que participa da Jornada é indicado por seu respectivo orientador que é realmente, quem efetua a inscrição do aluno no evento. A partir de 2007 lançamos a modalidade Comunicação oral. Em 2007, em Angra dos Reis, tivemos 19 inscrições para esta modalidade recém criada. Em 2008 recebemos inscrição para 36 apresentações orais, além de 90 pôsteres.
O crescimento da Jornada tem feito com que tenhamos que ampliar a duração do evento. Até 2006 realizávamos a Jornada em 1 dia e apenas sob a forma de exposição de pôsteres . Em 2007, com a iniciativa de lançarmos a opção de comunicação oral tivemos que realizar a Jornada em 2 dias e em 2008, face o enorme número de participantes, tivemos que programar 3 dias para a realização de nossas atividades.
A realização da Jornada anual só é possível pelo apoio da Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro – FAPERJ, que financia as despesas da Jornada. A partir de 2007 passamos a ter também o patrocínio da Eletronuclear que custeia uma parte das despesas da Jornada.
Prof. Jorge Belizário

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário